Percursos de São Roque

Os Percursos de São Roque em Portugal: itinerários de peregrinação e devoção constituem-se como um projecto de turismo religioso e cultural, recuperando para a contemporaneidade as rotas nacionais de devoção a São Roque.

O objectivo essencial passa pela aproximação a todas as comunidades, bem como partilhar e recuperar algumas das vivências culturais e religiosas que fazem parte da nossa memória colectiva.

Em Percursos de São Roque: itinerários de peregrinação e devoção são identificadas ermidas, capelas, igrejas dedicadas ao Santo, atestando os primórdios das manifestações devocionais no território nacional, em lugares que Roque (nascido em Montpellier entre 1345/1350 e falecido em Voghera, entre 1376/1379) não conheceu, mas que foram percorridos pelas suas Sagradas Relíquias e pela fama dos seus milagres, libertando da peste, santificando, protegendo e convertendo com a força e do seu exemplo de vida.

Estes templos constituíram-se como lugares de devoção, assistência, hospitalidade, caridade e de peregrinação, sendo muitas vezes erguidos nas rotas de peregrinação a Santiago de Compostela desempenhando um maior investimento na dimensão penitencial e devocional.

Os Percursos de São Roque: itinerários de peregrinação e devoção estão suportados por um levantamento geo-histórico, no qual são igualmente identificados outros locais de interesse, associados às manifestações populares, comunidades de devotos, confrarias, irmandades, comissões fabriqueiras e aos párocos, que, desde 1506 até à actualidade, se colocaram sob a invocação do Santo.

O culto a São Roque iniciou-se em 1506, em Lisboa, com a chegada das Relíquias do Santo, que o rei D. Manuel I pediu à Senhoria da Veneza, para proteção da cidade do flagelo da peste. Foi construída uma Ermida para guardar e pôr à veneração dos fiéis as Relíquias do Santo, sendo instituída uma Irmandade de São Roque, que anualmente mantém viva essa tradição.

Este é o dia da nossa partida. Esperamos por Si, para darmos continuidade a estes “Percursos de São Roque: itinerários de devoção e de peregrinação”.

 
  • Filtros
Categoria: Capelas

Ao Km 128,9 da EN 226, para EM 1069 (1 km em Rio Bom), Lamego, Cambres, Portugal

Imóvel construído no século XVIII. Na segunda metade desse século, foi executado o retábulo-mor, por António Cardoso. 

Categoria: Capelas

Quinta de S. Roque, Coudelaria Távora Correia, Lugar de Moreno, Portugal

A Capela de São Roque está integrada na Quinta de São Roque - Távora Correia.

Categoria: Capelas

EN 102, 5340 Macedo de Caval, Portugal

Trata-se de um edifício de pequenas dimensões, com fachada principal encimada por uma sineta.

Categoria: Capelas

M 553, Macedo de Cavaleiros, Ala

Capela barroca, com a fachada principal precedida por um alpendre suportado por quatro colunelos dóricos apoiadas num murete. 

Categoria: Capelas

Caminho de São Roque / Largo de São Roque, Machico, Madeira, Portugal

Localizada na baía de Machico, a primitiva capela foi mandada construir pelo segundo Capitão Donatário de Machico, Tristão Vaz Teixeira, como de agradecimento a São Roque, por este ter posto fim...

Categoria: Capelas

Rua de S. Roque, Madalena, Chaves, Portugal

A capela situa-se junto ao rio Tâmega, no topo de um jardim entre a Rua de São Roque e a Alameda da Galinheira. 

Pesquisa no mapa

 

Pontos de Interesse: Sugestões

A ermida foi construída por volta de 1560, num período de grande flagelo de peste, sendo instituída uma confraria de S. Roque, sendo Juiz, Francisco Fernandes.

Rua de São Roque, Santo Tirso, Coronado, Portugal

Foi no burgo piscatório da Póvoa do Varzim que, em 1582, foi construída a Capela de São Roque, por iniciativa de Diogo Peres de São Pedro e sua mulher Maria Fernandes de Faria. 

Praça da República, Póvoa de Varzim

A Igreja Matriz de São Roque remonta ao século XVIII, tendo sido reedificada em 1776 sobre a antiga Capela do Bom Jesus, construída em 1480, pelos fundadores do povoado de São Roque.

Rua da Igreja, 9940-340, São Roque do Pico, Ilha do Pico, Açores