Percursos de São Roque

Os Percursos de São Roque em Portugal: itinerários de peregrinação e devoção constituem-se como um projecto de turismo religioso e cultural, recuperando para a contemporaneidade as rotas nacionais de devoção a São Roque.

O objectivo essencial passa pela aproximação a todas as comunidades, bem como partilhar e recuperar algumas das vivências culturais e religiosas que fazem parte da nossa memória colectiva.

Em Percursos de São Roque: itinerários de peregrinação e devoção são identificadas ermidas, capelas, igrejas dedicadas ao Santo, atestando os primórdios das manifestações devocionais no território nacional, em lugares que Roque (nascido em Montpellier entre 1345/1350 e falecido em Voghera, entre 1376/1379) não conheceu, mas que foram percorridos pelas suas Sagradas Relíquias e pela fama dos seus milagres, libertando da peste, santificando, protegendo e convertendo com a força e do seu exemplo de vida.

Estes templos constituíram-se como lugares de devoção, assistência, hospitalidade, caridade e de peregrinação, sendo muitas vezes erguidos nas rotas de peregrinação a Santiago de Compostela desempenhando um maior investimento na dimensão penitencial e devocional.

Os Percursos de São Roque: itinerários de peregrinação e devoção estão suportados por um levantamento geo-histórico, no qual são igualmente identificados outros locais de interesse, associados às manifestações populares, comunidades de devotos, confrarias, irmandades, comissões fabriqueiras e aos párocos, que, desde 1506 até à actualidade, se colocaram sob a invocação do Santo.

O culto a São Roque iniciou-se em 1506, em Lisboa, com a chegada das Relíquias do Santo, que o rei D. Manuel I pediu à Senhoria da Veneza, para proteção da cidade do flagelo da peste. Foi construída uma Ermida para guardar e pôr à veneração dos fiéis as Relíquias do Santo, sendo instituída uma Irmandade de São Roque, que anualmente mantém viva essa tradição.

Este é o dia da nossa partida. Esperamos por Si, para darmos continuidade a estes “Percursos de São Roque: itinerários de devoção e de peregrinação”.

 
  • Filtros
Categoria: Capelas

Rua General Humberto Delgado (N116), Bucelas, Vila do Rei, Portugal

Em 1522, Bucelas pertencia ao 3º Bairro de Lisboa, sendo, então, Vila de Rei a povoação principal.

Categoria: Capelas

EM 561, 5340 Brinço, Macedo de Cavaleiros, Portugal

A capela foi construída nos arredores da localidade. Trata-se de um templo de uma nave, tendo a fachada protegida por um alpendre encimado por uma cruz. A data de 1790, está inscrita na base das...

Categoria: Capelas

Largo de S. Roque, Bragança, Salsas, Portugal

Categoria: Capelas

Largo de São Roque, 21, Braga, Merelim (São Paio), Portugal

A Capela de São Roque foi construída em 1569, para cumprimento de promessa feita pelos habitantes do Couto de Tibães, que recorriam a São Roque para que a peste terminasse. 

Categoria: Capelas

Macedo de Cavaleiros, Bornes, Portugal

A capela foi construída fora da localidade, num lugar de grande visibilidade sobre Bornes. Trata-se de um edifício de pequenas dimensões, com fachada principal encimada por uma sineta.

Categoria: Capelas

Rua da Rapoula, 3240 Ansião, Portugal

A cerca de um quilómetro de Avelar, no lugar da Rapoula, foi construída a Capela de São Roque, cuja existência está referenciada nas Memórias Paroquiais de 1758. 

Pesquisa no mapa

 

Pontos de Interesse: Sugestões

O nome da freguesia teve origem na Capela de São Roque, cuja primeira igreja foi erguida, em 1551, no Chão da Ribeira, integrando a paróquia do Faial.

Santana, São Roque do Faial

A ermida foi construída por volta de 1560, num período de grande flagelo de peste, sendo instituída uma confraria de S. Roque, sendo Juiz, Francisco Fernandes.

Rua de São Roque, Santo Tirso, Coronado, Portugal

A Capela de São Roque foi mandada construir pelos devotos para pedir protecção das pestes, como ficou inscrita na lápide de pedra: “FEITA PELOS DEVOTOS D’ESTA VILLA PELA PESTE DE 1580”.

Largo de São Roque, Vila do Conde, Portugal