Percursos de São Roque

Os Percursos de São Roque em Portugal: itinerários de peregrinação e devoção constituem-se como um projecto de turismo religioso e cultural, recuperando para a contemporaneidade as rotas nacionais de devoção a São Roque.

O objectivo essencial passa pela aproximação a todas as comunidades, bem como partilhar e recuperar algumas das vivências culturais e religiosas que fazem parte da nossa memória colectiva.

Em Percursos de São Roque: itinerários de peregrinação e devoção são identificadas ermidas, capelas, igrejas dedicadas ao Santo, atestando os primórdios das manifestações devocionais no território nacional, em lugares que Roque (nascido em Montpellier entre 1345/1350 e falecido em Voghera, entre 1376/1379) não conheceu, mas que foram percorridos pelas suas Sagradas Relíquias e pela fama dos seus milagres, libertando da peste, santificando, protegendo e convertendo com a força e do seu exemplo de vida.

Estes templos constituíram-se como lugares de devoção, assistência, hospitalidade, caridade e de peregrinação, sendo muitas vezes erguidos nas rotas de peregrinação a Santiago de Compostela desempenhando um maior investimento na dimensão penitencial e devocional.

Os Percursos de São Roque: itinerários de peregrinação e devoção estão suportados por um levantamento geo-histórico, no qual são igualmente identificados outros locais de interesse, associados às manifestações populares, comunidades de devotos, confrarias, irmandades, comissões fabriqueiras e aos párocos, que, desde 1506 até à actualidade, se colocaram sob a invocação do Santo.

O culto a São Roque iniciou-se em 1506, em Lisboa, com a chegada das Relíquias do Santo, que o rei D. Manuel I pediu à Senhoria da Veneza, para proteção da cidade do flagelo da peste. Foi construída uma Ermida para guardar e pôr à veneração dos fiéis as Relíquias do Santo, sendo instituída uma Irmandade de São Roque, que anualmente mantém viva essa tradição.

Este é o dia da nossa partida. Esperamos por Si, para darmos continuidade a estes “Percursos de São Roque: itinerários de devoção e de peregrinação”.

Ficha Técnica

Ficha Técnica
Projecto   

Turismo Cultural e Religioso

Título      

Percursos de São Roque em Portugal: itinerários de devoção e de peregrinação

Autoria

Helena Gonçalves Pinto

Referências bibliográficas e créditos fotográficos 

Autores Vários

Ano   

2011 

 
  • Filtros

Cruzeiro integrado num aglomerado urbano, constituído por um conjunto de edificações no interior da aldeia. 

A Confraria da Corte foi instituída muito provavelmente no século XVI, na Capela Real, a atestar pela Provisões Régias datadas a partir dos anos de 1533. 

O Regimento de Faro, mais tarde denominado Regimento de Infantaria n.º 14 teve uma Confraria sob a invocação de São Roque, com Compromisso aprovado, embora actualmente se desconheça o seu...

Categoria: Ermidas

A capela localiza-se num ponto elevado de onde se avista o Rio Côa.  

Categoria: Ermidas

A ermida de São Roque foi mandada edificada por Mem Daver, no final do século XV ou inícios de XVI, nas suas propriedades denominadas do Faial.

Categoria: Ermidas

A construção da Ermida de São Roque deve remontar ao século XVI, porque São Roque é santo patrono do Regimento de Infantaria de Tavira e da Confraria de São Roque, cuja estrutura composta...

Pesquisa no mapa

 

Pontos de Interesse: Sugestões

A Igreja Matriz de São Roque remonta ao século XVIII, tendo sido reedificada em 1776 sobre a antiga Capela do Bom Jesus, construída em 1480, pelos fundadores do povoado de São Roque.

Rua da Igreja, 9940-340, São Roque do Pico, Ilha do Pico, Açores

A Igreja de Santo António do Estoril, ou Igreja Matriz do Estoril, foi construída pela Ordem de São Francisco, no lugar onde se erguia em 1527 uma antiga Ermida em madeira dedicada a São...

Av. Marginal, Estoril, Portugal

Antigo Altar de São Roque na Igreja do Convento do Carmo.

Largo do Carmo, Lisboa, Portugal