A Capela é consagrada (provisão de 9 de Julho) pelo Patriarca D. Francisco Saldanha da Gama, segundo o documento que está no Livro de Registos de Provisões de 1760-1766, e são atribuídos os privilégios ao Altar desta Capela “para que a Missa que nelles se celebrar por qualquer Sacerdote Secular ou Regular”. A Ermida é benzida pelo Pároco do Distrito.

Na Capela, os ofícios semanais celebravam-se à hora do almoço, para que, além dos confrades, todos os oficiais da Ribeira pudessem participar.

A festa de São Roque realizava-se a 16 de Agosto, com manifestações de zelo por parte dos Irmãos que promoviam a aquisição de alfaias para uso e adorno da Capela.

No século seguinte é adquirida uma “torre volante que athe agora tem servido no dia da festa com o nosso carrilhão (…)” de sinos. (Livro Segundo das Conferências e Actas da Mesa, cota: 6761, 2/23-6-XXXVIII-2-5).