sumario indulgenciasSumário das Indulgências atribuídas pelo Santo Padre à Confraria e à Capela de São Roque, em 1757É publicado o “Summario das graças, indulgencias, privilegios e liberdades, concedidas à Sacrosanta Igreja Lateranense pelo Santo Padre, e Santa Fé Apostólica, e comunicadas pelo reverendissimo cabido, e conegos della à Confraria, e Capella do Bemaventurado S. Roque. Erecta, e instituida na Igreja do Mosteiro de N. S. do Carmo desta cidade de Lisboa aos oficiais, irmãos, e confrades della; os quaes alcanção as indulgencias, e graças abaixo declaradas, visitando a capella da dita confraria, e que por causa da ruina do terramoto se acha estabelecida em a sua Ermida na Ribeira das Naos”.

 

 

Abertura do Livro dos Assentos dos Irmãos da Confraria de S. Roque, erecta, e instituída na Igreja do Mosteiro de Nossa Senhora do Carmo desta cidade de Lisboa, e por causa da ruína do Terramoto estabelecida hoje em a sua Ermida na Ribeira das Nãos, impresso na Oficina Patriarcal de Francisco Luiz Ameno (Cota: 6727 6- XXXVIII 2-4).

Este livro é vulgarmente designado por «livro velho» e os assentos terminam a 25 de Maio de 1777. Nas margens dos assentos surgem as notas dos falecimentos dos mesmos confrades e nome das viúvas. Algumas destas mulheres são depois inscritas como Irmãs, a título de exemplo «Vitoria de Jesus de Macedo, viúva de Manuel G. ou de Bernarda Teresa Rosa, viúva de Pedro Miz. Rosa (assentos no ano de 1776)», sendo o registo formalizado em Sessão de Mesa.

 

 

No mesmo ano é aberto o novo Livro dos Assentos dos Irmãos da Confraria de S. Roque, erecta, e instituída na Igreja do Mosteiro de Nossa Senhora do Carmo desta cidade de Lisboa, e por causa da ruína do Terramoto estabelecida hoje em a sua Ermida na ribeira das Náos, novamente impresso na Oficina Patriarcal de Francisco Luiz Ameno (Cota: 6728- 6- XXXVIII 2-4).

Este Livro segundo dos Assentos é realizado porque se colocam inúmeras dúvidas acerca do livro anterior, como é referido na folha de rosto deste novo livro em que se afirma que os Irmãos “apareceram a buscar as suas patentes que teve o seu princípio em 25 de Maio de 1777”. O primeiro assento é de 28 de Outubro de 1757 e o último registo de 14 de Outubro de 1919.