O Juiz da Irmandade é D. Fernando de Mascarenhas (2.º Marquês de Fronteira), Vedor da Fazenda da Repartição dos Armazéns e Censor da Academia Real de História Portuguesa e elementos do Conselho de Estado do rei D. João V.