Na sequência do contrato para entrega da Ermida de São Roque à Companhia de Jesus, o conjunto de oficiais de Carpinteiro de Machado abandonam esta confraria e pedem aos religiosos do Convento do Carmo autorização para construírem um altar dedicado a São Roque, o que é concedido: “passados 147 annos, depois de estarem os Religiosos na posse da dita Igreja, he provavelmente certo, que aquelles Carpinteiros Velhos, propagadores da devoção do dito Santo, e seus confrades escandelizados da Convenção, que os outros tinhão feito no anno de 1553, com os Jesuítas, sem os ouvirem, sendo membros do mesmo corpo, não esfriando na devoção, juntos com os filhos e parentes da mesma occupação, peditão aos ditos Religiosos o vão, para ali fabricarem Altar do dito Santo…” (FREITAS E AZEVEDO, 1781).