Símbolos

Brasão

No ano de 2007, a Irmandade da Misericórdia e de São Roque de Lisboa solicitou ao Mestre José Benard Guedes a actualização dos seus elementos heráldicos fundamentados numa simbologia própria que define a personalidade desta Irmandade, que é a seguinte:

Escudo de púrpura, com cão passante de prata, coleirado de ouro e abocando um pão do mesmo, brocante a uma vara de peregrino com a sua cabaça, posta em barra, tudo de ouro. Em chefe, camaroeiro de prata. O escudo é todo perfilado de um cordão de ouro. Coroa mariana de ouro, com suas pérolas e rematada por um mundo e pomba. Listel branco com letras maiúsculas a negro IRMANDADE MISERICÓRDIA Đ SÃO ROQUE LISBOA.

Helena Gonçalves Pinto
Historiadora

 

Hino

Houve o desejo de ter um hino com uma letra de linguagem actual, correcta mas simples, e com música fácil de acompanhar. Os hinos existentes, de indiscutível beleza, têm uma linguagem antiquada - mesmo o de 1994 - e eram difíceis de executar, resultando que por isso mesmo tinham acabado por ser ignorados e tinham deixado de ser executados (vide Celebração de São Roque).

O actual hino, correspondendo aqueles objectivos, é o fruto da generosa colaboração do Irmão António Agostinho Homem, que escreveu a letra, e do Reverendo Padre António Cartageno, que compôs a música.

Segue a letra e música do Hino a São Roque, datado de Abril de 2013:

 

hino sao roque 2003

pdfHino a São Roque (2013)

 

Estandarte

A criação do estandarte processional para identificação da Irmandade da Misericórdia e de São Roque partiu de um desejo manifestado pelos Irmãos, enquanto representação de um novo ciclo de espiritualidade associado a uma comunidade progressiva, integrada no catolicismo social.

O projeto foi desenvolvido pelo Mestre José Benard Guedes (heraldista e criador do Brasão de Armas da Irmandade), com a colaboração dos Irmãos Luís Silva Moreira (designer e criador do logótipo da Irmandade) e Helena Gonçalves Pinto (historiadora). A proposta consistiu na materialização do Brasão de Armas, reforçando a modernidade dos elementos sígnicos desta instituição e a sua aplicação sobre um tecido, rematado com galões e sistema de suspensão, tarefa que foi concretizada pela Irmã Geraldina Nascimento e sua filha Maria dos Anjos.

O Estandarte compõe-se por uma haste sobre a qual são aplicados os elementos heráldicos em aço (simbolizando a prata), sobre o fundo em tecido (de cor vermelha para os tempos festivos e em roxo para a Quaresma).

A identificação da entidade é realizada com o lettering do logotipo gráfico IRMANDADE MISERICÓRDIA Đ SÃO ROQUE LISBOA.

ler mais...

Na origem, a Irmandade de São Roque fazia-se representar por uma Cruz processional em prata, não possuindo bandeira ou estandarte como as outras confrarias religiosas ou mesmo as irmandades de misericórdia.

O protocolo estabelecido no Compromisso (1605) determinava que, nas exéquias dos Irmãos falecidos, os mordomos da capela estivessem presentes transportando a Cruz e os ciriais.

No século XVIII os Irmãos de São Roque sustendo a sua cruz integram o cortejo das festas da Beatificação do Padre João Francisco Regis. Nesse itinerário destacava-se a “cruz da Confraria de São Roque e logo a cruz da Comunidade da Companhia, segue-se o andor de prata com a imagem de João Francisco Regis, transportado por dois religiosos trinos e dois jesuítas, segue-se o palio de oito varas levado por padres jesuítas, sob o qual era transportado o santo lenho, nas mãos do Provincial da Companhia; o palio era acompanhado por doze padres de S. Domingos e fiéis da companhia com ricas capas de asperges, & tochas, seguindo-se a mesma pompa de luzes do palio, levadas pelos Irmãos da Confraria de S. Roque, cuja nobreza, & gravidade de pessoas punha o remate a todo este devotíssimo aplauso” (Lisboa, Officina de Pascoal da Sylva, 1717, pp, 3-27).

Em 1730 a Mesa encomenda uma nova cruz aos ourives Manuel Roque e António Pereira, segundo o estilo "à Romana”, para ser usada nas procissões. Sucedem-se outras encomendas de cruzes processionais em prata, das quais se foi perdendo o paradeiro, o que levou a Mesa Administrativa de 1955, a encomendar duas novas cruzes processionais, cuja execução em marcenaria foi entregue às Escolas Profissionais Salesianas (Oficinas de São José). Uma destas Cruzes está ao serviço do culto na Igreja de São Roque.

 

01 estandarte proposta design
Estandarte - Proposta de design da autoria de Luís Silva Moreira
02 logotipo grafico
Logótipo desenvolvido por Luís Silva Moreira

 

03 estandarte esquisso
Estandarte - Esquisso com a inserção dos elementos heráldicos da autoria de José Bénard Guedes
04 estandarte
Estandarte da Irmandade da Misericórdia e de são Roque de Lisboa