O Auto de Natal, na Igreja de São Roque, é promovido anualmente pela Irmandade da Misericórdia e de São Roque de Lisboa, com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, tendo ganho ao longo da última década especial relevância nos calendários destas duas instituições.

É um projecto de ensino e uma fonte de auto-estima dirigido às centenas de crianças, jovens e adultos integrados nos equipamentos da SCML a partir da celebração do Nascimento de Jesus.

Cada Auto de Natal mobiliza um elevado número de pessoas, cerca de 200, tanto da Irmandade como da Santa casa, que a ele se dedicam com empenho e alegria.

Todos os anos o texto e a música são originais, o guarda-roupa é personalizado e desenhado tendo por base o contexto histórico e todos os anos se dá enfase a uma das figuras do Presépio. O Auto de Natal assenta num plano pedagógico, que é desenvolvido com todas as pessoas que nele participam.

O Auto de Natal é a peça final deste grandioso trabalho conjunto, que se constrói ao longo de quatro meses de muita preparação e ensaios. É o momento em que todos os participantes oferecem ao público o seu testemunho da transcendência do Nascimento de Jesus, também Ele menino.

Prefácio

Neste mundo Ocidental em que vivemos o Natal é, por excelência, a festa das crianças. A aproximação do 25 de Dezembro desperta nas crianças uma onda de fantasia, com muito carinho, muitas prendas, guloseimas, festas, luzes, música e movimentação.
Mas é também, por excelência, a festa da Família. A Família, na sua totalidade.
Para os adultos, o Natal já tem outro conteúdo, e o nascimento do Menino Deus e a Boa Nova que nos legou são sentidos na sua profundidade.
O Auto de Natal que a Irmandade da Misericórdia e de São Roque promove em São Roque, com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, desde os inícios deste milénio, dirige-se tanto às crianças como aos adultos.
As crianças são os “meninos da Santa Casa”. É para eles o projecto pedagógico que se estende ao longo do ano e assume particular intensidade nos últimos quatro meses com o directo envolvimento dos que participam no Auto.
Cada um contribui com a sua arte, dançando, declamando, tocando, recitando e todos representando, constroem uma celebração de todos para todos.
Participando, aprende-se o valor do trabalho em equipa, da responsabilidade que cabe a cada um no êxito final, cresce-se em auto-estima e no respeito por si e pelos outros.
Os adultos são as suas famílias e a enorme família de todos os que na Irmandade e na Santa Casa acompanham as suas vidas, dão-lhes o seu carinho e os rodeiam de amor para que sejam felizes na vida e nada lhes falte.
Este Auto tem também por função aproximar as diferentes visões que, as crianças por um lado e os adultos por outro, têm sobre o nascimento de Jesus. Principalmente, aproximar a sensibilidade e a espiritualidade das crianças da real transcendência do Natal, preparando a sua entrada na vida adulta.
Este Auto tem luzes, música, movimentação, alegria e festa.
E tem prendas.
Não são brinquedos.
São os aplausos quentes que envolvem os que estiveram em palco, e vão direitos de coração em coração.

O Irmão Provedor
Pedro Pestana de Vasconcelos

Prefácio

O Natal, a festa que ao longo do ano é de todas a mais esperada, é celebrado na Igreja de São Roque de uma forma muito especial, com um Auto de Natal, promovido pela Irmandade da Misericórdia e de São Roque de Lisboa, com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

A Auto de Natal, já na sua 13ª edição, criou tais raízes que o tornam um evento indispensável nos calendários da Irmandade e da Santa Casa.

É um acontecimento esperado com expectativa pelos que nele participam, pelos seus familiares, pelos que assistem e por todos os que das formas mais diversificadas contribuem generosamente com o seu tempo, com a sua dedicação e generosidade para tornar possível a sua realização.

Muito mais que uma bela representação cénica, avulta o projecto pedagógico que lhe é inerente e que em rigor se estende ao logo de todo o ano, assumindo particluar intensidade nos últimos quatro meses com o envolvimento directo dos executantes.

Cada um contrubiu com a sua arte, de aquisição recente ou já antiga. Cantando, dançando, declamando, tocando, recitando e todos representando, construíram um espectáculo, de todos para todos, crianças e jovens e adultos, de tenra idade ou já bem entrados nos anos.

Participando, aprende-se o valor do trabalho em equipa, da responsabilidade que cabe a cada um noêxito geral, cresce-se em auto-estima e no respeito por si próprio e pelos outros e simultâneamente apreende-se a mística do Natal, a transcendência e a espiritualidade do nascimento de Jesus Menino.

No encanto da história, tão singularmente contada, com muita inspiração e originalidade, ressaltam os verdadeiros valores do Amor de Cristo Menino, da disponibilidade, do serviço aos outros, em especial aos mais carentes de apoio, material e moral, que anseiam por gestos concretos de ternura e amor.

Possa a nossa "estalagem" estar permanentemente aberta aos peregrinos que procuram o camnhi do bem e da verdade.

 

António Balcão Reis

Irmão Segundo Vice-Provedor

IMSRL

"Os Magos representam os homens e as mulheres à procura de Deus nas religiões e nas filosofias do mundo inteiro: uma busca que jamais terá fim. Homens e mulheres que procuram."

- Papa Francisco (2015)

 

Em 2015 através do Auto de Natal intitulado “ Seguindo uma Estrela”, quisemos homenagear e chamar a atenção para o problema dos refugiados, dando-lhe a importância de que se reveste.

Pretendemos assim, através da arte, despertar consciências para o Natal de outras religiões, integrando o seu sofrimento na nossa Festa de Natal.

Este edição do Auto de Natal combinou as tradicionais artes de palco com a técnica de representação com sombras chinesas.

As "sombras chinesas" são uma forma tradicional de teatro praticado no oriente que consiste na colocação de uma, ou de mais personagens ou objectos, entre uma luz e uma tela, permitindo que o espectador veja apenas sombras. A utilização desta técnica é considerada, por muitos, uma das precusoras do cinema.

Assim, em 2004, a História do Nascimento de Jesus foi transmitida de forma completamente inovadora, juntamente com uma dramatização em palco e música.

10º Auto de Natal realizado pela Irmandade da Misericórdia e de São Roque de Lisboa teve como tema principal a "construção" do Presépio, realçando o papel de cada uma das personagens e a sua importância e contributo na história da Natividade.