Em cumprimento das normas Estatutárias e Compromisso a Irmandade realiza anualmente uma Assembleia Geral Ordinária de Irmãos para apreciação e votação do Orçamento e Programa de Acção para o ano seguinte e uma Assembleia Geral Ordinária para discussão e votação do Relatório e Contas da Actividade do ano anterior, bem como do Parecer do Conselho Fiscal.

A Assembleia-Geral poderá ainda reunir em Sessão Extraordinária quando convocada pelo Presidente da Mesa da Assembleia Geral, por iniciativa própria ou a pedido da Mesa Administrativa ou do Conselho Fiscal ou a requerimento de, pelo menos, vinte Irmãos.

As Assembleias-Gerais são constituídas por todos os Irmãos. São Reuniões de primordial importância para a vida da Irmandade, já que são a sede adequada para a definição das linhas fundamentais de actuação da Irmandade, o estabelecimento das grandes opções.

O artigo 24º do Compromisso define em pormenor as atribuições da Assembleia-Geral de Irmãos à qual compete deliberar sobre todas as matérias não compreendidas nas atribuições legais ou estatutárias dos outros Órgãos Sociais.

As deliberações da Assembleia-Geral são tomadas por maioria absoluta dos votos dos associados presentes, sendo que para algumas matérias, especificamente identificadas no Compromisso é requerido o voto favorável de pelo menos 2/3 dos votos expressos.

Nos últimos anos tem sido prática corrente anteceder as Assembleias-Gerais de Reuniões Gerais de Irmãos, num ambiente menos formal, livres dos requisitos e rituais legais, em que ao Irmãos são solicitados e motivados a apresentar as suas questões, dúvidas e sensibilidades, sugestões e críticas, com total liberdade de opinião, todos guiados no desejo de construir uma Irmandade cada vez mais aderente à vocação cristã de amor ao próximo e à prática das Obras de Misericórdia, especialmente as espirituais.

As últimas Assembleias-Gerais tiveram lugar respectivamente a 14 de Dezembro de 2015 para votação do Plano de Actividades e Orçamento para o ano corrente de 2016 e a 30 de Março de 2016 para discussão e votação do Relatório de Actividades e Contas do ano de 2015, bem como do Parecer do Conselho Fiscal.